17.5 C
Brasília
segunda-feira, novembro 29, 2021
spot_img

Estudantes do DF embarcam para mundial de profissões técnicas nos Emirados Árabes

1 de 5 Estudantes de cursos técnicos do DF representam o Brasil na WorldSkills — Foto: Helio Montferre/Sistema Fibra

Estudantes de cursos técnicos do DF representam o Brasil na WorldSkills — Foto: Helio Montferre/Sistema Fibra

Estudantes de cursos profissionalizantes em Brasília embarcam nesta segunda-feira (9) para a WorldSkills, uma competição internacional de conhecimentos técnicos. O mundial acontece a cada dois anos em países diferentes. Neste ano, será em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, entre os dias 15 e 18 de outubro.

Os quatro representantes do Distrito Federal são jovens de até 22 anos, estudantes do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Os competidores integram a delegação brasileira, de 59 pessoas. Ao todo, serão 1.264 jovens aprendizes de 68 países e diversas áreas de conhecimentos.

Wanderson Coimbra, 21 anos, vai representar o DF com o desenvolvimento do projeto de drywall e estucagem, um sistema de construção a seco. O jovem foi medalhista de ouro na etapa nacional e esta é a primeira vez que viaja para fora do país.

“É a maior competição de educação profissional do mundo. Foram várias etapas e agora chegou a etapa mundial. Espero voltar com resultado.”

2 de 5 Wanderson Coimbra, 21 anos, vai participar do desafio de Drywall e Estucagem — Foto: Helio Montferre/Sistema Fibra

Wanderson Coimbra, 21 anos, vai participar do desafio de Drywall e Estucagem — Foto: Helio Montferre/Sistema Fibra

Ao lado de Wanderson, viaja um outro competidor ainda mais jovem. Fábio Crisóstomo tem 20 anos e é estudante de movelaria. Juntos eles vão enfrentar 15 horas de voo, contando com a escala em São Paulo.

Durante a competição, os participantes serão testados em provas com até 22 horas de duração, divididas em quatro etapas. O desafio na área de movelaria será construir um móvel rústico com base em um projeto de Taiwan, país asiático. O melhor projeto executado, com melhores ajustes e acabamentos é o que vai ganhar a competição.

“Eu me sinto bem honrado de ter essa oportunidade de representar nossa pátria. A gente se sente emocionado de saber que está representando o país na área e de ser o único selecionado.”

3 de 5 Fábio Crisóstomo vai representar o Brasil na categoria de movelaria — Foto: Helio Montferre/Sistema Fibra

Fábio Crisóstomo vai representar o Brasil na categoria de movelaria — Foto: Helio Montferre/Sistema Fibra

Topo do ranking

A última edição da WorldSkills foi em São Paulo, em 2015, e o Brasil saiu vitorioso com 27 medalhas. O resultado foi considerado surpreendente, com base na trajetória do país, que participa da competição desde 1983.

Nas três primeiras edições os brasileiros não receberam medalhas. Depois disso, o número de ranqueados aumentou ano a ano. Segundo os organizadores, a meta agora é continuar no topo do ranking em Abu Dhabi.

4 de 5 Participantes durante treinamento para a WorldSkills — Foto: José Paulo Lacerda/CNI

Participantes durante treinamento para a WorldSkills — Foto: José Paulo Lacerda/CNI

Seleção brasileira

Os 54 integrantes da delegação brasileira foram escolhidos entre 407 alunos que fizeram provas em 32 cidades do país. São jovens com até 22 anos e cursam 51 cursos técnicos diferentes do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e dos Institutos Federais de Educação.

Durante a competição, os participantes serão testados em provas na área técnica em que atuam – automação industrial, eletrônica, eletricidade, cozinha e confeitaria, entre outros. Os desafios devem ser concluídos com base em padrões internacionais de qualidade. Em cada modalidade, participa um representante ou equipe de cada país.

Brasília deve ter representantes em 49 ocupações técnicas, como polimeração e automação, mecatrônica, robótica móvel, joalheria, manutenção de aeronaves, confeitaria, modelagem de protótipos, enfermagem, estética, engenharia de moldes, tecnologia de mídia impressa, entre outros.

5 de 5 Treinamento de um novo competidor para a WorldSkills — Foto: CNI/Divulgação

Treinamento de um novo competidor para a WorldSkills — Foto: CNI/Divulgação

Premiação

Os técnicos mais bem colocados em cada modalidade ganham medalhas de ouro, prata e bronze. O desempenho é medido em pontos e quem tiver os melhores índices ganha também uma “medalha de excelência”. O competidor que tiver a maior nota entre todos os participantes ganha o prêmio Albert Vidal. Em 2015, um brasileiro de 20 anos recebeu a condecoração.

O Senai irá premiar os participantes brasileiros à parte. Os medalhistas terão direito a bolsas de estudos de até R$ 3 mil, para serem usadas em até cinco anos. A competição é semelhante à “Olimpíada do Conhecimento”, que teve uma edição em Brasília no ano passado.

Newsletter G1 Created with Sketch.

O que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

As notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail. Para se inscrever, entre ou crie uma Conta Globo gratuita.

Obrigado!

Você acaba de se inscrever na newsletter Resumo do dia.

Fonte: g1.globo.com/distrito-federal/noticia/estudantes-do-df-embarcam-para-mundial-de-profissoes-tecnicas-nos-emirados-arabes.ghtml

Related Articles

Stay Connected

0FansLike
3,032FollowersFollow
0SubscribersSubscribe

ULTIMOS ARTIGOS

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com